Tuesday, January 13, 2009

'' segue o crepúsculo sem solavancos, eu me solto na beirada. Faço sem fluência o malfadado percurso dos deuses. Me adianto às respostas negativas e estapeio a cara da necessidade...

Cada tiro único eu dei no pé. Eu acerto em cheio a boca da morte sem pedir socorro. Em mim, tumba coberta de pó secular, ninguém aposta no jorro sangrento da vida.''

2 comments:

Giorgia said...

o eterno descontentamento...
mais vodka, please!

pero es lindo.

Anonymous said...

sugarei cada gota do seu doce talento literário
e proclamarei como meu!